Barack Obama faz discurso na COP26

Atualizado: 1 de set.

Ex-presidente americano pediu aos jovens que "continuem ferozes" na luta contra a mudança climática ao discursar na cúpula da COP26.

Na foto se vê Barack Obama, ex-presidente dos Estados Unidos, vestindo um terno preto e uma camisa cinza. Ele está discursando num palanque, com o dedo indicador apontando para a platéia.
Obama discursa na COP26, conferência do clima realizada em Glasgow. Foto: Reuters.

Obama foi à conferência internacional do clima em Glasgow nesta segunda-feira (08), pois de acordo com John Kerry (enviado do clima americano), o governo sabia que Biden precisava de ajuda para convencer o mundo que os EUA realmente estão levando a sério o combate à mudança climática.


O ex-presidente dos EUA fez um discurso instigando os jovens a exercerem pressão política para fazer uma mudança, mas avisou que eles teriam que aceitar a realidade ao longo do caminho.


Obama disse que o mundo "não está nem perto de onde precisamos estar" para evitar uma catástrofe climática futura. Também criticou a "hostilidade ativa de Donald Trump em relação à ciência do clima", mas disse que os EUA estão prontos para liderar novamente.


Obama também repreendeu os líderes da China e da Rússia por não comparecerem fisicamente à cúpula da COP26.


Falando em Glasgow, Obama recebeu aplausos entusiasmados quando subiu ao palco e uma ovação de pé no final de seu discurso - mas houve resistência dos ativistas.


Ele chamou a atenção das nações por não cumprirem as promessas feitas no Acordo de Paris de 2015, quando ele estava na Casa Branca.


No entanto, os ativistas foram rápidos em apontar aqueles que foram decepcionados por seu próprio governo, incluindo o fracasso de uma promessa importante dos países desenvolvidos de entregar US$ 100 bilhões (£ 73 bilhões) por ano em financiamento climático para as nações mais pobres.


Ele admitiu que ainda há muito trabalho árduo a fazer para reduzir os efeitos da mudança climática, mas disse que alguns avanços promissores foram feitos nos seis anos desde a assinatura do Acordo de Paris, que ele ajudou a liderar.


Não há como ignorar a política



Obama dedicou grande parte de seu discurso a jovens ativistas, que ele disse estarem "certos em se sentirem frustrados".


Dirigindo-se diretamente aos jovens, ele disse que eles "não podem ignorar a política" e que, embora os protestos e as hashtags aumentem a conscientização, eles deveriam se envolver na política em algum nível.


"Você não precisa ficar feliz com isso, mas não pode ignorar. Não há como ser puro demais [para a política]."


Fazendo referência aos hábitos de compra das próprias filhas, ele também convocou os jovens a apoiarem negócios que estivessem comprometidos com a sustentabilidade e boicotassem os que não estivessem, por exemplo empresas sem nenhum tipo de compromisso com o meio-ambiente.


O bordão da noite de Obama foi dizer aos jovens ativistas para "ficarem zangados".


"Para todos os jovens lá fora - quero que continuem com raiva. Quero que continuem frustrados", disse ele.


"Mas canalize essa raiva. Aproveite essa frustração. Continue se esforçando cada vez mais por mais e mais. Porque é isso que é necessário para enfrentar esse desafio. Prepare-se para uma maratona, não para uma corrida."

__________________________________________________________________________________

Créditos à reportagem original da BBC, que serviu como base para esta matéria: https://www.bbc.com/news/science-environment-59210395