Colin Powell, primeiro secretário de Estado negro dos EUA, morre após complicações da Covid-19

Atualizado: 1 de set.

Colin Powell, o primeiro secretário de Estado negro dos EUA cuja liderança em vários governos republicanos ajudou a moldar a política externa americana nos últimos anos do século 20 e nos primeiros anos do 21, morreu de complicações causadas pela Covid-19, disse sua família no Facebook. Ele tinha 84 anos.

A foto mostra Colin Powell, ex-secretário de Estado dos EUA, acenando. Ele veste um terno azul marinho, com gravata azul e camisa branca. Ele está usando óculos na foto.
O ex-secretário de Estado descreveu seu papel no período que antecedeu a Guerra do Iraque em 2003 como "uma mancha" que "sempre fará parte do meu histórico". Foto: Ramzi Haidar / AFP

"O general Colin L. Powell, ex-secretário de Estado dos EUA e ex-presidente da Junta de Chefes de Estado-Maior, faleceu esta manhã devido a complicações da Covid 19", escreveu a família Powell nas redes sociais, observando que ele estava totalmente vacinado.

"Perdemos um marido, pai, avô notável e amoroso e um grande americano", disseram eles.

Powell foi um soldado distinto e promissor, cuja carreira o levou a se tornar o primeiro assessor de segurança nacional negro durante o final da presidência de Ronald Reagan e o mais jovem e primeiro presidente afro-americano da Junta de Chefes de Estado-Maior, no governo do presidente George H.W. Bush.


Sua popularidade nacional disparou após a vitória da coalizão liderada pelos Estados Unidos durante a Guerra do Golfo e, por um tempo, em meados dos anos 90, ele foi considerado um dos principais candidatos a se tornar o primeiro presidente negro dos Estados Unidos. Mas sua reputação ficaria para sempre manchada quando, como primeiro secretário de Estado de George W. Bush, ele forneceu informações errôneas para as Nações Unidas com intuito de defender a Guerra do Iraque, o que mais tarde ele chamaria de uma "mancha" em seu histórico.


Bush disse em um comunicado na segunda-feira que Powell era "um grande servidor público" que era "tão favorito dos presidentes que ganhou a Medalha Presidencial da Liberdade - duas vezes. Ele era muito respeitado em casa e no exterior. E o mais importante, Colin era um homem de família e um amigo. "


Embora Powell nunca tenha apresentado uma candidatura à Casa Branca, quando foi empossado como secretário de Estado de Bush em 2001, ele se tornou o funcionário público negro de mais alto escalão no país até o momento, ficando em quarto lugar na linha de sucessão presidencial.

Nesta foto é possível ver o General Colin Powell, como presidente do Estado-Maior Conjunto dos EUA. Ele está em frente à dois microfones, sentado, segurando um lápis. O general está vestindo farda completa, com medalhas do lado esquerdo e direito. Ele veste também uma camisa branca e gravata preta. Colin Powell está usando óculos na foto.
O general Colin Powell, presidente do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos, em 1991. (Foto da AP)

"Acho que isso mostra ao mundo o que é possível neste país", disse Powell sobre sua nomeação que fez história durante a audiência de confirmação do Senado. "Isso mostra ao mundo que: ao seguir nosso modelo, se você acredita nos valores que defende, você pode ver coisas tão milagrosas quanto eu sentado diante de você para receber sua aprovação."


Mais tarde em sua vida pública, Powell ficaria desiludido com a guinada para a direita do Partido Republicano e usaria seu capital político para ajudar a eleger democratas para a Casa Branca, mais notavelmente Barack Obama, o primeiro presidente negro dos EUA, que Powell endossou nas semanas finais de 2008 campanha.


O anúncio foi visto como um impulso significativo para a candidatura de Obama devido ao amplo apelo popular e estatura de Powell como um dos negros americanos mais proeminentes e bem-sucedidos na vida pública.


Powell deixa sua esposa, Alma Vivian (Johnson) Powell, com quem se casou em 1962, bem como três filhos.

__________________________________________________________________________________

Créditos à reportagem original da CNN, que serviu como base para esta matéria: https://edition.cnn.com/2021/10/18/politics/colin-powell-dies/index.html