Coreia do Norte e Coreia do Sul testam mísseis balísticos com horas de intervalo

Atualizado: 1 de set.

A Coreia do Norte e a Coreia do Sul testaram mísseis balísticos com horas de diferença, com isso destacando uma corrida armamentista na península enquanto as negociações nucleares com o Norte continuam paralisadas.

Televisão sul-coreana transmitiu imagens em reportagem sobre o último teste do Norte com mísseis balísticos Foto: Reuters.

O Norte disparou dois mísseis balísticos em sua costa leste, seu primeiro teste com tais mísseis em seis meses e uma nova violação das resoluções da ONU.


Os testes ocorreram enquanto a Coreia do Sul e a China discutiam a questão nuclear do Norte.


Horas depois, o Sul testou seu primeiro míssil balístico lançado por submarino.


O teste do míssil conhecido como SLBM foi pré-planejado e não em reação aos últimos lançamentos do Norte. Isso torna a Coreia do Sul o sétimo país do mundo com essa tecnologia.


O presidente Moon Jae-in, que participou do teste, disse que a Coréia do Sul agora tem "poder de dissuasão suficiente para responder às provocações da Coréia do Norte a qualquer momento", exortando o Sul a continuar aumentando seus programas de armas para "superar o poder assimétrico da Coréia do Norte".


Os comentários foram criticados por Kim Yo Jong, irmã do líder norte-coreano Kim Jong Un, que os descreveu como ilógicos e lamentáveis, alertando que eles poderiam levar a um rompimento nos laços entre os países, informou a agência de notícias estatal KCNA.


No teste da Coréia do Norte, os mísseis de curto alcance voaram cerca de 800 km a uma altitude máxima de 60 km, disse o Estado-Maior Conjunto da Coréia do Sul (JCS).


Eles foram lançados de áreas centrais do interior do país e voaram para o leste em direção ao Mar do Japão, também conhecido como Mar do Leste, acrescentou o JCS. A Coréia do Sul e os Estados Unidos estavam conduzindo análises para determinar que tipo de míssil foi usado.


O ministro da Defesa japonês disse mais tarde que os mísseis haviam pousado dentro da zona econômica exclusiva do país.


Imagens em vídeo do Ministério da Defesa da Coréia do Sul mostram o lançamento dos mísseis

Resoluções da ONU proíbem a Coréia do Norte de realizar testes com mísseis balísticos - que podem transportar ogivas nucleares ou convencionais - nos esforços para conter o programa nuclear do país.


"É um momento extraordinário que você não tenha uma, mas duas Coréias testando mísseis balísticos no mesmo dia", disse o professor John Delury, da Universidade Yonsei, à agência de notícias AFP. "Isso diz muito sobre o fato de que há uma corrida armamentista nesta região."


Os lançamentos recentes mostram que a Coréia do Norte continuou a desenvolver suas armas, apesar de uma grave crise econômica. Especialistas dizem que Pyongyang realiza esses testes para melhorar sua tecnologia enquanto tenta aumentar sua influência nas negociações com Washington.


Os EUA querem que o país desista de seus programas nucleares e de mísseis em troca de sanções, mas o Norte recusou.


O primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, classificou o lançamento norte-coreano de "ultrajante", enquanto os EUA disseram que representava uma ameaça aos vizinhos e à comunidade internacional.


Anteriormente, o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, conversou com seu homólogo sul-coreano, Chung Eui-yong, em Seul, e disse que todas as partes deveriam trabalhar para promover a paz e a estabilidade na península coreana.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Créditos à reportagem da BBC UK, que serviu como base para esta matéria: https://www.bbc.com/news/world-asia-58554326