Donald Trump concede perdão para diversos rappers

Atualizado: 1 de set.

Como um dos atos finais de Donald Trump como o 45º presidente dos Estados Unidos, ele perdoou as sentenças de prisão de 143 pessoas, incluindo Lil Wayne, Kodak Black e o cofundador da Death Row Records, Michael Harris. Trump entregou a lista na noite de terça-feira (19 de janeiro), quando suas últimas horas no Salão Oval chegaram ao fim.

Bill Kapri, AKA Kodak Black, deixa Suprema Corte do Estado em Lockport, Março de 2020.
Bill Kapri, AKA Kodak Black, deixa Suprema Corte do Estado em Lockport, Março de 2020.

Os perdões presidenciais surpreenderam e confundiram as mídias sociais, com alguns se perguntando por que um rapper com ficha criminal como Kodak merecia o perdão. O nativo de Pompano Beach, Flórida, está atrás das grades desde 2019, depois que foi preso por porte de armas e condenado a quase quatro anos de prisão.


Enquanto isso, Wayne se confessou culpado de uma acusação federal de porte de armas no mês passado e pode pegar até 10 anos atrás das grades. Em novembro de 2020, a lenda do Cash Money endossou publicamente Trump com uma viagem à Casa Branca, atraindo críticas de fãs e colegas.


Mas o apoio provou funcionar a favor de Wayne e ele não terá mais que se preocupar com uma possível pena de prisão. Além de Kodak e Weezy, alguns nomes notáveis deixados de fora da lista chamaram a atenção dos fãs de rap, alguns que faziam lobby por um perdão ou redução de anos de prisão, como Bobby Shmurda e Suge Knight.