Fachin diz que é intolerável pressão contra o Judiciário

Atualizado: 1 de set.

Após nota e declaração em livro de general Villas Bôas, ministro Edson Fachin classificou como intolerável e inaceitável toda e qualquer pressão sobre o Judiciário.


Em livro com relatos do general Villas Bôas, o ex-comandante do exército brasileiro diz que publicações críticas ao STF em 2018 – que na época analisava um recurso do ex-presidente Lula que tentava impedir sua prisão – tiveram aprovação da cúpula das forças armadas. Villas Bôas questionou quem estava atuando pelo bem do Brasil e quem estava optando por interesses próprios.




Em resposta a declaração, ministro do STF, Edson Fachin diz em nota:

“Anoto ser intolerável e inaceitável qualquer forma ou modo de pressão injurídica sobre o Poder Judiciário. A declaração de tal intuito, se confirmado, é gravíssima e atenta contra ordem constitucional...”


“A grandeza da tarefa, o sadio orgulho na preservação da ordem democrática e do respeito à constituição não toleram violações do Estado de Direito...”


O ministro ainda fez menção à invasão ao Capitólio americano e a importância das forças armadas americanas para a segurança democrática naquele momento.


“Tuíte do general Villas Bôas excitou tropas e quem vive nas sombras da democracia.” -Trecho retirado da reportagem de Carla Jiménez, publicada por El País em 2018.