Hercílio Luz, a ponte governada

Atualizado: 1 de set.

Treze minutos e quarenta e três segundos com ritmo de sete minutos e vinte e oito segundos por quilômetro para realizar a ida e volta. Foi o que a Fabiana do Desbravando Capitais levou para realizar o seu treino de corrida no cartão postal de Florianópolis: a ponte Hercílio Luz. Ponte essa que liga as duas partes de Florianópolis (continente e ilha) e é o famoso símbolo da capital e do estado catarinense, cujo nome homenageia um dos mais importantes governadores do Estado de Santa Catarina: Hercílio Luz.

De um lado, o continente, do outro, a ilha.
De um lado, o continente, do outro, a ilha.

A ponte Hercílio Luz é uma das maiores pontes pênseis do mundo, com comprimento um pouco maior que oitocentos e dezenove metros e pesa, aproximadamente, cinco mil toneladas. Na sua construção foram utilizados um pouco mais de quatorze mil e duzentos e cinquenta metros quadrados de concreto, suportados por alicerces e pilares. Suas duas torres medem setenta e cinco metros, em relação ao nível do nível do mar, com um vão de mais de quarenta metros de altura. A ponte é um projeto dos engenheiros norte-americanos Robinson e Steinmann que utilizaram a mão de obra de operários catarinenses com dezenove técnicos norte-americanos e todo material da ponte importado dos Estados Unidos.


O Estado de Santa Catarina recebeu empréstimo de um banco norte-americano para ter recursos para a construção da ponte. Essa dívida seria paga apenas cinquenta anos depois - em 1978, mas durante a construção houve muitos desafios, dentre eles: o primeiro banco norte-americano que emprestou vinte mil contos de réis faliu e, além de atrasar as obras, o Estado de Santa Catarina ficou responsável pelas dívidas do banco falido. Para dar continuidade à obra, um novo empréstimo foi necessário e no final a ponte ficou praticamente o dobro do orçamento do Estado na Época.


Hercílio Luz tinha o propósito de tornar Florianópolis a capital de Santa Catarina, mas havia um movimento, com o mesmo propósito, para a cidade de Lages. Florianópolis tinha algumas desvantagens: a distância com o estado e ser de difícil acesso. O percurso entre o continente e ilha (e vice-versa) era percorrido através de balsas que não ofereciam proteção a seus passageiros contra o clima e a travessia, que era impraticável em dias de mar agitado e muito vento. Estes motivos jogavam contra tornar Florianópolis a capital administrativa e política do estado. Já pensando na solução, a ponte teria o nome de “Ponte da Independência”, já que facilitaria o acesso da ilha à parte continental, anteriormente denominada Distrito de João Pessoa [F1] (região metropolitana de Florianópolis).


A construção da ponte, iniciada em 1922, no mandato do governador Hercílio Luz e inaugurada em 1926, concretizou Florianópolis como a capital do Estado de Santa Catarina. Hercílio Luz, homenageado batizando a ponte com seu nome, morreu doze dias após inaugurar uma ponte pênsil de madeira, apenas para um ato simbólico.


A cidade de São José, na década de 1930, que tinha forte relevância para os frequentadores da região, devido ao porto de Floripa - como Florianópolis é carinhosamente chamada, se viu em decadência por diversos fatores, incluindo a facilidade de acesso que a ponte proporcionou.


Em 1982 a ponte Hercílio Luz foi interditada por medida de segurança (perigo de desabamento) e, por muito tempo, permaneceu sendo o cartão postal da cidade, porém sempre necessitando de inúmeras reformas. A ponte, que atualmente viabiliza o trânsito de veículos e pedestres, suportava a passagem apenas de pedestres, bicicletas, motocicletas e veículos de tração animal, entre 1988 e 1991. Após uma reforma, que durou aproximadamente duas décadas, recebendo uma ênfase a partir do ano de 2010, e resistindo a diversos governos, retornou às atividades no mandato do governador Carlos Moisés em 2019.

A ponte foi tombada como patrimônio histórico, artístico e arquitetônico do município em 04/08/1992; ação realizada pelo governo estadual em 13/05/1997 e, na instância federal, em 05/08/1998. Estes tombamentos preservam a ponte das ideias de demolição. Todavia, em momentos de reforma, pode tornar o processo mais burocrático e gerar diversas polêmicas sobre tempo e efetividade das obras. Atualmente, Florianópolis tem três pontes disponíveis para a travessia do continente para a ilha, mas a ponte Hercílio Luz permanece a mais antiga, tradicional e símbolo da cidade.


Além da ponte, Hercílio Luz recebeu diversas homenagens, dando nome ao Aeroporto Internacional de Florianópolis, Estádio localizado em Itajaí/SC, clube profissional de futebol de Tubarão/SC, livro de Evaldo Pauli, Memorial dentro do Museu Casa de Campo de Hercílio Luz, em Rancho Queimado/SC. Além de diversos logradouros e praças que receberam seu nome, em diferentes cidades de Santa Catarina.


Hercílio Luz, Político


Com a renúncia do Marechal Deodoro da Fonseca e Lauro Müller em 1891 (presidente do Brasil e presidente de Santa Catarina - atual cargo de governador), Floriano Peixoto, sendo o vice-presidente, tornou-se presidente e a Junta Governativa Catarinense - formada por Arthur Deocleciano de Oliveira, Cristóvão Nunes Pires e Luís dos Reis Falcão - tomou posse em caráter provisório para governar o estado de Santa Catarina.


Hercílio Luz, após participar com uma tropa de 50 homens da “Revolução Republicana de Tijucas” em julho de 1893 foi proclamado, em Blumenau, governador provisório do Estado de Santa Catarina. A marcha saiu de Blumenau e seguiu rumo à Nossa Senhora do Desterro (atual Florianópolis), local que teve um confronto armado na frente do Palácio do Governo e resultou em mortes. Hercílio, mesmo sem o reconhecimento do presidente Floriano Peixoto, ocupou o prédio. Floriano Peixoto, descontente, desligou Hercílio Luz do cargo na Comissão de Terras de Blumenau, mas foi nomeado, posteriormente, a Chefe do Distrito Telegráfico de Morretes/PR a Torres/RS.


“Hercílio Luz foi o primeiro governador republicano eleito por voto direto pelo Partido Republicano Catarinense (PRC)”, conforme descrito no site memória política de Santa Catarina. Em 28 de setembro, Hercílio Luz tomou posse do mandato e já nos primeiros dias, o governador sancionou a mudança do município de Nossa Senhora do Destêrro para Florianópolis (Lei Estadual n.º 111, de 01-10-1894) em homenagem a Floriano Peixoto.


Anualmente, de 1898 a 1902, Hercílio Luz atuou no Conselho Municipal de Florianópolis (atual Câmara de Vereadores). Em 1899 foi eleito Deputado Federal por Santa Catarina, mas não permaneceu por muito tempo no cargo, pois assumiu como Senador, de 1900 a 1920. Nos primeiros anos como Senador, exerceu o posto de 3º Secretário da Mesa Diretora e integrou as Comissões de Saúde Pública; Estatística e Colonização; Obras Públicas e Empresas Privilegiadas. Devido a novas mudanças dentro da política, em setembro de 1918 assumiu novamente o governo do Estado de Santa Catarina, permanecendo até setembro de 1922. Após este período, se elegeu governador do Estado e ficou no mandato de setembro de 1922 a maio de 1924, momento que precisou se afastar. Hercílio Luz faleceu em outubro de 1924.


Se você pudesse trocar o nome de uma cidade, qual cidade você trocaria e qual nome colocaria? Deixe já sua resposta nos comentários.


Notas


[F1] Em 1943, o Distrito de João Pessoa foi distinto e o território passou a ser parte do município de Florianópolis (Decreto-lei Estadual n.º 941, de 31-12-1943), o que é atualmente conhecida como parte continental de Florianópolis


Texto escrito por Fabiana Mercado

Pós graduada em Comunicação e Marketing Digital, formada em Publicidade e Propaganda, acumula mais de 9 anos na área, colunista do Zero Águia, curiosa, preza o respeito a todas as pessoas independente de características. Nas horas vagas pratica corridas com o apoio da equipe Superatis. Adora conhecer novas pessoas e lugares, ama viajar e possui um projeto denominado Desbravando Capitais com o marido para morar e vivenciar durante um mês em todas as capitais brasileiras nos próximos anos.

 

Referências:


https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sc/florianopolis/historico


https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sc/sao-jose/historico


https://portogente.com.br/artigos/24067-porto-de-florianopolis


https://ndmais.com.br/noticias/memoria-de-florianopolis-vestigios-da-cidade-portuaria/


https://guiafloripa.com.br/turismo/patrimonios-historicos/ponte-hercilio-luz


https://www.floripaimob.com.br/post/pontehercilioluz


http://www.hoepckeimoveis.com.br/vida-urbana/a-historia-por-tras-da-ponte/


https://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/1225-Luis_dos_Reis_Falcao


https://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/1283-Arthur_Deocleciano_de_Oliveira


https://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/233-Eliseu_Guilherme_da_Silva


https://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/1357-Manoel_Joaquim_Machado


https://memoriapolitica.alesc.sc.gov.br/biografia/1194-Hercilio_Luz


https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Jos%C3%A9_(Santa_Catarina)


https://pt.wikipedia.org/wiki/Junta_governativa_catarinense_de_1891


https://pt.wikipedia.org/wiki/Herc%C3%ADlio_Luz


https://www.preparaenem.com/historia-do-brasil/revolta-armada-forca-floriano.htm#:~:text=Os%20oficiais%20revoltosos%20da%20marinha,apoiava%20a%20Revolta%20da%20Armada