Lira e oposição selam acordo para a Mesa Diretora da Câmara

Atualizado: 1 de set.

Depois de rebaixar partidos de oposição ao governo de Jair Bolsonaro (sem partido), Arthur Lira (PP-AL), novo presidente da câmara dos deputados, cedeu cargos à oposição para evitar o bloqueio de pautas.


Logo após ser eleito presidente da Câmara, Arthur Lira decidiu na noite de segunda-feira ato excluindo quase todos os adversários dos cargos de comando. Argumentando de que o PT perdeu por seis minutos o prazo para registrar sua adesão ao bloco de Baleia Rossi, o novo presidente da Câmara dos deputados rebaixou o partido do terceiro posto mais importante da Mesa, a 1ª secretaria, para a 4ª secretaria.




No entanto, o novo presidente em menos de 24 horas, fez um acordo com partidos de oposição para a distribuição de vagas na Mesa Diretora da casa.


O acordo ajuda a abaixar a temperatura na Câmara dos deputados, agitada desde a noite de segunda, após dissolver o bloco que apoiou a candidatura do adversário Baleia Rossi (MDB-SP). Com o fim do bloco, partidos de oposição ficariam sem direito de ocupar cargos de destaque na casa. Os partidos aliados de Lira preencheriam cinco das seis vagas titulares; ao PT competiria apenas a quarta secretaria.

O acordo determinou que o PT ocupará a segunda secretaria, com Marília Arraes (PE), e a terceira secretaria será destinada ao PSB, com Marcelo Nilo (BA). Informações do jornal O Globo.