Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – Os desafios do milênio

Atualizado: 1 de set.

Os 193 Estados membros da ONU, incluindo o Brasil, comprometeram-se a adotar a chamada Agenda Pós-2015, considerada uma das mais ambiciosas da história da diplomacia internacional. A partir dela, as nações trabalharão para cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Se você é um millenium provavelmente lembra a emoção da virada do ano de 1999 para o ano 2000. A preocupação que o mundo iria acabar, o bug do milênio onde as máquinas não reconheceriam o novo século e com isso teríamos um “apagão digital”. Porém nessa virada de século também ocorreu um evento importantíssimo, a ONU (Organização das Nações Unidas) e seus membros estavam idealizando as metas para o novo milênio, conhecidas como Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs):


  1. Acabar com a fome e a miséria;

  2. Oferecer educação básica de qualidade para todos;

  3. Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres;

  4. Reduzir a mortalidade infantil;

  5. Melhorar a saúde das gestantes;

  6. Combater a Aids, a malária e outras doenças;

  7. Garantir qualidade de vida e respeito ao meio ambiente;

  8. Estabelecer parcerias para o desenvolvimento.


A partir desses objetivos, os Estados estabeleceram como meta alcançá-los entre 2000 a 2015. Com essa meta pontuada podemos verificar a implementação de diferentes políticas públicas no Brasil durante os governos FHC, Lula e Dilma como: Fome Zero, Farmácia Popular, Minha Casa Minha Vida entre outros programas. Passados os dois primeiros séculos, verificou-se que esses oito objetivos não estavam cobrindo todos os problemas atuais e que o mundo vem lutando para conseguir garantir dignidade e qualidade de vida para as pessoas e o meio ambiente.


Desenvolvimento e novos objetivos


Então em 2020 a ONU transforma as ODMs em Objetivos Desenvolvimento Sustentável (ODSs) acrescentando mais nove objetivos. Por exemplo, ao falarmos de fome zero, incluímos nesse objetivo a agricultura sustentável e a segurança alimentar. Não é somente realizar um programa em que o Estado entrega uma cesta básica ou uma quantia para que as famílias possam comprar seus alimentos.


Mas, melhorar essa política pública ao identificar essas comunidades, e através de estudos, proporcionar uma alimentação saudável e de qualidade. Além disso desenvolver a região em que essa comunidade se encontra e que ela possa ser autossuficiente e atinja os 17 objetivos. Desse modo melhorando o mundo, tornando-o um lugar no qual todos os serem humanos tenham o direito de viver com respeito e dignidades.



Para entendermos os 17 objetivos da ODS o Zero Águia virá com uma série de artigos nos quais, em cada mês, iremos apresentar um objetivo e conhecer quais Estados e Empresas vem trabalhando com a, agora também conhecida como, Agenda 2030 e de que forma estão tentando transformar esses objetivos em realidade.


Texto escrito por Camila Bellato

​Formada em Relações Internacionais com Pós Graduação em Gestão Econômica. Especialista em Direitos Humanos e grande entusiasta das politicas públicas baseadas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ONU).

 

Fontes:


ONU: http://www.odmbrasil.gov.br/os-objetivos-de-desenvolvimento-do-milenio e https://brasil.un.org/pt-br/sdgs


UFMG: https://www.ufmg.br/espacodoconhecimento/os-objetivos-de-desenvolvimento-sustentavel/#:~:text=Como%20surgiram%20os%20ODS%3F,educa%C3%A7%C3%A3o%20e%20%C3%A0%20%C3%A1gua%20pot%C3%A1vel.