Petroleiras planejam pressionar Biden em relação ao mercado de combustíveis Venezuelano

Atualizado: 1 de set.

Representantes de empresas do ramo de combustível, importadores de petróleo venezuelano e grupos de defesa disseram este mês que planejam pressionar o próximo governo do presidente eleito dos EUA, Joe Biden, a reverter a proibição de trocas de petróleo por diesel.

Caminhão de transporte de combustíveis.

A administração Trump, desde o último trimestre de 2020, proibiu as empresas de enviar diesel à Venezuela em troca de petróleo. Esses negócios foram bloqueados por mais de um ano devido à sanções impostas contra a estatal Petroleos de Venezuela SA.


Isso suscitou preocupações sobre o impacto humanitário devido ao déficit de diesel, amplamente utilizado no transporte público venezuelano, agricultura e como combustível para geradores usados ​​como barreira para apagões freqüentes. Os agricultores já estão alertando que a escassez está impedindo a colheita de açúcar e o plantio de arroz.


Um porta-voz de Biden, que assumirá o cargo em 20 de janeiro, não quis comentar. Biden rotulou Maduro como um ditador, e assessores disseram que ele provavelmente manterá algumas sanções enquanto busca mais consenso entre os aliados dos EUA sobre como aplicá-las.