Será o ministro da defesa russo um possível sucessor de Putin?

Atualizado: 1 de set.

Putin ainda está ponderando a ideia de outro mandato, mas conforme ele se aproxima dos 70, pessoas estão apostando em Sergey Shoigu para ser o próximo líder.

O presidente russo, Vladimir Putin, e o ministro da defesa, Sergey Shoigu, visitam o campo de treinamento Mulino para observar os exercícios militares 'Zapad-2021' das forças armadas da Rússia e Bielo-Rússia em Nizhny Novgorod, Rússia, 13 de setembro [Foto: Sputnik / Sergei Savostyanov / Pool via Reuters]

Embora Vladimir Putin tenha sido eleito presidente da Rússia pela primeira vez em 2000, ele está cumprindo seu mandato "zero" - de acordo com a lei que "anulou" suas três presidências anteriores e a atual.


A legislação, que permite que ele concorra a dois mandatos de seis anos em 2024 e 2030, foi simbolicamente patrocinada pela deputada Valentina Tereshkova, a primeira mulher a voar para o espaço em 1963.


“As pessoas simples me pediram para apresentar o projeto", disse ela. A Duma, câmara baixa do parlamento da Rússia, dominada por partidários de Putin, aprovou a lei em março de 2020.


'Nós não aceitamos' devem ser nossas únicas palavras sobre esta anulação”, alertou o líder da oposição Alexey Navalny na época.


Meses depois, ele mal sobreviveu a um envenenamento por agente nervoso que alegou ter sido orquestrado por Putin, e foi sentenciado a dois anos e meio de prisão em fevereiro deste ano.


Putin ainda está ponderando a ideia de um “primeiro” - ou tecnicamente quinto - mandato.


“Ainda não decidi se concorreria em 2024”, disse ele em dezembro de 2020.


Desde o começo de sua presidência, Putin projetou a imagem de um atleta, sempre ao ar livre, que se dedica ao judô, natação - às vezes com golfinhos - e anda a cavalo, ocasionalmente sem camisa.


Mas em 7 de outubro, ele está fazendo 69 anos - e muitos se perguntam quem o sucederá e quando.


Os analistas políticos pró-Kremlin se recusam até mesmo a nomear seu sucessor em potencial entre os atuais membros do gabinete.


“É claro que escrevo sobre eles em documentos confidenciais, e muitos o fazem, mas nomeá-los publicamente é falar da boca para fora”, disse o analista Alexey Mukhin, que dirige o Centro de Informações Políticas, um centro de estudos em Moscou.


Ele disse que a lista de potenciais sucessores do Kremlin será tornada pública após a aposentadoria ou morte de Putin.


“Não se trata de Putin, mas das pessoas interessadas em manter a lista desses nomes confidencial até a Hora H”, disse ele à Al Jazeera.


De acordo com Sergei Biziukin, um ativista da oposição que foi forçado a deixar a Rússia em 2019 depois de tentar se candidatar à presidência, “Putin é cauteloso e reservado. Mesmo que ele escolha alguém como sucessor, ele não o revelará antes do tempo. ”


“Embora eu duvide que ele considere abrir mão do poder enquanto está vivo. E os ditadores raramente se preocupam com o que acontece a seguir. ”


O Ministro falcão


Alguns analistas políticos apostaram no ministro da Defesa, Sergey Shoigu, o mais antigo membro do gabinete da Rússia e o segundo político mais popular depois de Putin.


Shoigu é um homem de paradoxos surpreendentes, seu primeiro nome é essencialmente russo, mas ele vem de Tuva, uma província budista pobre, de língua turca, que faz fronteira com o noroeste da China e tem uma das maiores taxas de assassinatos e suicídios da Rússia.


Alguns intelectuais tuvanos chegam a considerá-lo uma reencarnação de Subedei, um general mongol cujo exército devastou o que hoje é a Rússia e a Ucrânia, há oito séculos.


Shoigu começou sua carreira no início da década de 1990 como chefe do ministério de emergências, tornando-a uma estrutura militarizada altamente eficaz - e liderando todas as paradas políticas anos antes de Putin se tornar presidente.


Considerado um democrata liberal até assumir o ministério da defesa em 2012, Shoigu liderou os maiores avanços do Kremlin - a anexação da Crimeia e o apoio ao governo do presidente sírio Bashar al-Assad.


Antes da votação parlamentar de 19 de setembro, Putin indicou-o como garoto-propaganda do Rússia Unida, o partido no poder que vem caindo nas pesquisas de popularidade.


Shoigu, de 66 anos, costuma ser visto na TV pescando e caçando com Putin - uma união simbólica que alguns dizem que o torna o sucessor mais provável.


“Ele tem chances sérias, muito maiores do que qualquer outro por enquanto”, disse à Al Jazeera Nikolay Mitrokhin, pesquisador da Universidade Alemã de Bremen.


---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Créditos à reportagem original da Al Jazeera, que serviu como base para esta matéria.

https://www.aljazeera.com/news/2021/9/14/is-russias-defence-chief-emerging-as-putins-possible-successor