WhatsApp irá adiar atualização do aplicativo

Atualizado: 1 de set.

Atualização estava prevista para 8 de fevereiro, porém repercussão negativa influenciou adiamento.

Whatsapp
Usuários ficaram receosos com a nova política do WhatsApp.

O WhatsApp anunciou que irá adiar uma atualização que suspostamente iria melhorar as transações comerciais dentro da plataforma após uma tempestade de comentários negativos de seus usuários, que temem uma invasão de privacidade pelo aplicativo.


“Decidimos prolongar o prazo no qual as pessoas deverão revisar e aceitar os termos atualizados. Ninguém terá a conta suspensa ou apagada em 8 de fevereiro de 2021. Também faremos um trabalho intenso para esclarecer todas as informações incorretas sobre como a privacidade e a segurança funcionam no WhatsApp”.

Segundo notificações enviadas para os usuários, dados sensíveis seriam compartilhados com o Facebook. Caso o usuário não aceitasse os novos termos, teria que excluir o aplicativo.


Na nova política de privacidade, o WhatsApp informa que certos dados — como número de telefone, foto de perfil e modelo do aparelho usado na navegação — seriam usados para melhorar a experiência de perfis comerciais do aplicativo e na ofertas de novos produtos aos clientes do Facebook, que é do mesmo grupo empresarial.


Procon-SP notifica WhatsApp


Nesta quinta (14), o Procon-SP notificou o WhatsApp e cobrou explicações sobre as novas regras. Com prazo máximo de resposta de 72 horas, a instituição pede que o aplicativo de mensagens esclareça o enquadramento dos novos termos às leis brasileiras.


No documento, o órgão cita a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) e o Código de Defesa do Consumidor, que protegem os brasileiros e dizem que a decisão sobre o uso e o compartilhamento dos dados é um direito pessoal básico.