Um novo amanhecer para Colômbia

Atualizado: 5 de out.

Neste último domingo (19) finalizou-se a apuração dos votos para eleições presidenciais na Colômbia, com a vitória do atual senador de esquerda Gustavo Petro, ex-membro do movimento guerrilheiro M-19, que em sua campanha prometeu profundas mudanças sociais e econômicas. Petro é o primeiro progressista a vencer as eleições para o executivo na história da Colômbia.

Gustavo Petro abraça sua vice-presidente Francia Marquez da coalizão Pacto Histórico após a vitória de Petro no segundo turno da eleição presidencial, na Arena Movistar, em Bogotá, Colômbia 19 de junho de 2022
Gustavo Petro abraça sua vice-presidente Francia Marquez da coalizão Pacto Histórico após a vitória de Petro no segundo turno da eleição presidencial, na Arena Movistar, em Bogotá, Colômbia 19 de junho de 2022. Foto: REUTERS/ Luísa González

Petro venceu o magnata da construção Rodolfo Hernandez com uma margem inesperadamente ampla de mais de 700.000 votos (50,5% contra 47,3%) no que analistas disseram ser uma demonstração da ânsia dos colombianos por esforços para combater a profunda desigualdade.


Petro, ex-prefeito da capital Bogotá, prometeu combater a desigualdade com educação universitária gratuita, reformas previdenciárias e altos impostos sobre terras improdutivas.

"A partir de hoje a Colômbia muda; a Colômbia é diferente", disse Petro aos torcedores na arena de shows de Bogotá. "A mudança consiste precisamente em deixar para trás o sectarismo. Não é hora de ódio, este governo, que começará em 7 de agosto, é um governo de vida", disse.

Milhares de pessoas saíram às ruas em Bogotá para comemorar, com algumas dançando perto de seu maior local de votação sob chuva intermitente.


Esta campanha foi a terceira candidatura presidencial de Petro e sua vitória acrescenta a nação andina a uma lista de países latino-americanos que elegeram progressistas nos últimos anos.


"Hoje estou votando pela minha filha - ela completou 15 anos há duas semanas e pediu apenas um presente: que eu vote no Petro", disse o segurança Pedro Vargas, 48, entrevistado pela Reuters no sudoeste de Bogotá na manhã de domingo. "Espero que este homem cumpra as esperanças da minha filha, ela tem muita fé em suas promessas", acrescentou Vargas, que disse que normalmente não vota.


Francia Marquez, a nova face da Colômbia


Francia Marquez, mãe solteira e ex-governanta, será a primeira vice-presidente negra da Colômbia depois que uma votação histórica no domingo viu o país andino escolher seu primeiro presidente de esquerda, Gustavo Petro.


Sua ascensão política durante a campanha segue amplas demandas por mudanças e crescente preocupação com temas socioambientais, disse Daniela Cuellar, da FTI Consulting, à Reuters. “A popularidade política de Francia Márquez fez parte de uma tendência na Colômbia onde a população busca uma mudança e onde as questões socioambientais estão se tornando cada vez mais relevantes”, disse ela.

Diante de um fundo estampado com a frase "a mudança é imparável", Márquez agradeceu aos apoiadores de toda a Colômbia por ajudarem ela e a campanha de Petro em um discurso transmitido de Bogotá. "Após 214 anos, conseguimos um governo do povo, um governo popular, um governo do povo com as mãos calejadas... o governo dos ninguéns da Colômbia".

A nova vice-presidente eleita da Colômbia vem do município de Suarez, uma área rural da província colombiana de Cauca. Cerca de 80% da população de Cauca vive em alguma forma de pobreza.


Marquez é uma célebre ativista ambiental cuja oposição à mineração de ouro em seu município natal a fez receber o prestigioso Prêmio Ambiental Goldman em 2018 - bem como ameaças de morte de grupos armados ilegais. Além de servir como vice-presidente da Petro, Marquez está programada para liderar um novo ministério da igualdade para desenvolver suas ideias de melhorar os direitos das mulheres e ajudar a população mais pobre a ter acesso à saúde e à educação.


Texto escrito por Eliézer Fernandes

Fundador do Zero Águia, é desenvolvedor de software, formado em Segurança da Informação pela FATEC e fascinado por história e relações internacionais.

 

Fontes:


Colombia elects former guerrilla Petro as first leftist president | Reuters


Colombia elects first Black woman VP Francia Marquez, who vows to stand for 'nobodies' (devdiscourse.com)