Vacina Sputnik V é solicitada por Farmacêutica brasileira

Atualizado: 1 de set.

A Farmacêutica União Química e o Fundo Russo de Investimento Direto fizeram um pedido emergencial para a Anvisa de 10 milhões de doses da vacina.


Nesta sexta-feira (15), a União Química publicou um comunicado informando que junto ao Fundo Russo de Investimento Direto fez um pedido de uso emergencial de 10 milhões de doses da vacina Sputnik V, produzidas na Federação Russa.


A Sputnik V é a primeira vacina registrada do mundo baseada em uma plataforma baseada em vetor adenoviral. Conforme publicado no site oficial da vacina, A eficácia confirmada da “Sputnik V” é de 91,4% com base na análise de dados do ponto de controle final dos ensaios clínicos. A eficácia da vacina Sputnik V contra casos graves de Corona vírus é de 100%.


Este é o terceiro pedido de aprovação para uso emergencial de vacinas contra a Covid-19 no Brasil. A Sputnik V se junta a vacina de Oxford e a CoronaVac na espera de uma aprovação da Anvisa para começar a ser aplicada em massa.


A empresa informou que a vacina será produzida em fábricas de Brasília e de Guarulhos com base em acordo de transferência de tecnologia firmado com o fundo russo.


Uso da vacina no Paraguai


O Paraguai se tornou o mais recente país da América Latina a aprovar o uso emergencial da vacina russa Sputnik V contra o novo Corona vírus, informou o fundo russo nesta sexta-feira.


O sinal verde do Paraguai não exige ensaios clínicos adicionais no país, disse o fundo em nota. Argentina, Venezuela e Bolívia também aprovaram o uso da vacina, enquanto o Chile negocia para fazê-lo.